Coopercon do Ceará comemora 160 milhões em negociações no ano de 2012

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no G+ Compartilhar no LinkedIn Imprimir




Foto - Coopercon-CE negociações 2012* Fotos/Imagens meramente ilustrativas

Coopercon-CE negociações 2012

A Cooperativa da Construção Civil do Estado do Ceará (Coopercon) finaliza 2012 comemorando um crescimento relevante nas ações desenvolvidas nos últimos meses. Somente neste ano, a entidade já movimentou R$ 160 milhões em negociações para o setor da construção civil, valor que representa um crescimento de 60% em relação ao ano passado.

"Estamos concluindo, fechando o ano já com projeções concretas até o mês de dezembro. Vamos bater um recorde nacional em que nós mobilizamos R$ 160 milhões na aquisição de produtos e serviços através da cooperativa, envolvendo 17 grupos de negociações, o que caracteriza 80% dos principais itens de construção dos nossos cooperados", afirma o presidente da Coopercon-CE, Marcos Novaes.

Atualmente com 85 cooperados, a Coopercon-CE expandiu fronteiras neste ano criando sedes no Piauí, Rio Grande do Norte, Alagoas e, ontem, o estado da Bahia foi o último a confirmar o ingresso. Para Novais, o ano de 2012 representou para a Coopercon muito mais do que atividades comerciais. "Estamos montando a Cooperloc, uma empresa criada em sociedade com o grupo Baram, do Rio Grande do Sul, que é uma central de locações em equipamentos da construção civil com preços bem abaixo do mercado. Um elevador de obra era alugado por R$ 200 mil. Agora, por menos de R$ 7 mil pela Cooperloc", explica.

Qualificação

Outro projeto criado neste ano pela cooperativa prevê qualificar dois mil funcionários por ano com cursos gratuitos por meio de uma parceria com o Governo do Estado.

"Será o primeiro Centro Vocacional Tecnológico (CVT) da Construção Civil. Será construído nas imediações da avenida Oliveira Paiva", afirma Novais, acrescentando que o cidadão já entra no curso com emprego garantido caso tenha uma frequência positiva.

O CVT está previsto para começar a funcionar em 2014 e terá um investimento de mais de R$ 5 milhões, segundo Novais.

Atualmente, a cooperativa atua em parceria com a Companhia Docas do Ceará (CDC), onde já realizou cursos capacitando mais de 200 profissionais para a construção civil neste ano.

Também em parceria com o Governo do Estado, a entidade vai administrar o Centro de Inclusão Tecnológica e Social (CITS), localizado no conjunto José Walter. Além dos cursos de capacitação já existentes, o Centro ganhará um anexo exclusivo para as atividades profissionalizantes da área de construção.

Sustentabilidade

Para 2013, está entre os projetos da Coopercon-CE a construção da primeira Usina de Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil do Ceará.

"Já fizemos o projeto, visitamos os melhores exemplos do Brasil e queremos replicar aqui. Para a usina ser economicamente viável existe a necessidade do poder público exigir que nas obras públicas e privadas tenham pequenos percentuais de produtos recicláveis.

Indústria do setor sinaliza melhora

Brasília O desempenho da indústria da construção começa a mostrar pequenos sinais de melhora, indicam a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Câmara Brasileira da Indústria da Construção(CBIC). As duas entidades divulgaram ontem o estudo "Sondagem Indústria da Construção", que aponta um quadro de estabilidade no setor e recuperação em alguns indicadores. O indicador sobre Utilização da Capacidade de Operação (UCO) das empresas do setor ficou em 70% em setembro, o mesmo porcentual de agosto. Em julho, o nível foi de 69%.

O indicador de nível de atividade efetivo em relação ao usual ainda está no campo negativo, mas com crescimento nos últimos meses. O indicador marcou 47,0 pontos em setembro, ante 46,4 pontos em agosto e 45,5 pontos em julho.

Em relação a esse indicador, números abaixo de 50 pontos representam resultado negativo e acima de 50 pontos, resultado positivo. Apesar de o estudo apresentar melhoras, CNI e CBIC preferem adotar uma postura moderada. "Desempenho menos negativo ainda não aponta para retomada do crescimento", citou o estudo.

A "Sondagem Indústria da Construção" é uma publicação mensal. O trabalho é realizado pela CNI em parceria com a CBIC. Na edição, foram consultadas 456 empresas (98 grandes, 200 médias e 158 pequenas) entre os dias 1º e 11 de outubro.

O indicador sobre evolução do número de empregados marcou 48,8 pontos em setembro, abaixo, portanto, da linha divisória dos 50 pontos. Em agosto, esse item havia alcançado 49,3 pontos. Desde junho o indicador sobre evolução do número de empregados tem ficado abaixo dos 50 pontos.

Recuperação

O economista da CNI Danilo Garcia destacou que os indicadores sobre a situação financeira das empresas apontam uma leve reativação no setor. O índice ficou em 50,3 pontos no terceiro trimestre (ante 48,8 pontos no anterior). "Os empresários consideraram a situação financeira das empresas satisfatória", diz.

Falta trabalhador

A falta de trabalhador qualificado foi o principal problema citado pelas grandes empresas no terceiro trimestre, de acordo com a sondagem, com 61,7% de respostas (ante 54,6% no trimestre anterior).

Fonte: Diário do Nordeste

Para comprar direto de fábrica com os melhores preços de venda, entre em contato conosco.


link para pagina de produtos






© Todos direitos reservados >> Grupo IW8 - Equipamentos para Construção Civil - 2016

Logomarca do desenvolvedor