Projeto Arte no Canteiro de obras da MRF Engenharia em MS

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no G+ Compartilhar no LinkedIn Imprimir




Foto - Projeto Arte no Canteiro de obras da MRF Engenharia em MS* Fotos/Imagens meramente ilustrativas

Projeto Arte no Canteiro de obras da MRF Engenharia em MS

Mais de 450 operários do canteiro de obras da MRF Engenharia no Bairro Pioneiros, em Campo Grande (MS), receberam, em Dezembro de 2012, informações importantes sobre segurança no trabalho e redução do desperdício de materiais de construção durante o lançamento do Projeto Arte no Canteiro, desenvolvido pelo Sesi e que tem como meta atender mais de 8 mil trabalhadores em todo o Estado com mais de 80 apresentações teatrais do Grupo XPTO, de São Paulo (SP). Na prática, o Projeto busca sensibilizar os trabalhadores das indústrias da construção civil por meio de apresentações teatrais nos canteiros, destacando a prevenção aos acidentes de trabalho, o combate ao alcoolismo, o uso racional da água e de energia elétrica e a limpeza dos canteiros de obras.

Segundo o superintendente do Sesi, Michael Gorski, por meio das apresentações, será possível conscientizar os trabalhadores sobre o uso de equipamentos de segurança e assim contribuir com a redução do alto índice de acidentes de trabalho na construção civil do Estado. “A nossa intenção, em parceria com o TRT/MS (Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul), é levar o Arte no Canteiro ao maior número possível de obras, pois a linguagem utilizada pelos artistas para conscientizar os operários é de fácil assimilação e, muitas vezes, dá mais resultado que as palestras sobre segurança no trabalho disponibilizadas pelas construtoras”, pontuou.

Já o desembargador do trabalho Francisco das Chagas Lima Filho, que assume a presidência do TRT/MS na próxima semana, ressaltou que o Arte no Canteiro vem para somar à campanha de trabalho seguro desenvolvida pela Justiça do Trabalho em todo o País. “Com essa contribuição do Sistema Fiems, por meio do Sesi, esperamos conseguir substituir a cultura da indenização pela cultura da prevenção aos acidentes de trabalho. Nós, da Justiça do Trabalho, entendemos que, somente dessa forma, estaremos contribuindo para salvar e preservar as vidas dos trabalhadores da construção civil”, declarou.

O presidente do Sinduscon/MS (Sindicato Intermunicipal da Indústria da Construção Civil de Mato Grosso do Sul), Amarildo Miranda Melo, reforçou que o Projeto ensina de forma lúdica um assunto de extrema importância para os trabalhadores da construção: o uso dos equipamentos individuais de segurança. “As empresas de construção civil já desenvolvem ações de conscientização dos seus trabalhadores, mas, todo e qualquer trabalho nesse sentido, é bem-vindo. Com a redução dos índices de acidentes de trabalho no segmento, todos ganham, desde e o trabalhador e seus familiares até as empresas e o própria saúde pública”, ponderou.

Assim também pensa o presidente do Sintracom/MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil do Estado), José Abelha Neto. “Essa iniciativa do Sesi é espetacular, pois ajuda a conscientizar os trabalhadores de uma forma bem agradável”, disse. Na opinião do supervisor de obras da MRV, Leonardo da Costa, toda e qualquer ação que visa a conscientização dos operários na questão de segurança no trabalho é bem recebida pela empresa. “Essas apresentações ajudaram a direcionar os nossos trabalhadores para o caminho certo a ser seguido”, disse.

Operários

Com uma estrutura diferenciada, que inclui palco montado com andaimes e guindaste de construção, o Projeto conseguiu atingir, na sua primeira apresentação, o objetivo de educar e conscientizar os trabalhadores de uma forma lúdica e descontraída. Na avaliação do operário João da Silva, 60 anos, os personagens e a forma como os atores falaram do uso dos equipamentos de proteção individuais ajudou a sensibilizar os colegas. “Foi muito interessante essa apresentação. Muitas das coisas que eles falaram a gente já sabia, mas não dava muita atenção. Agora, acho que isso vai mudar”, garantiu.

O operário Raimundo Barbosa Costa, 53 anos, acrescenta que os colegas que têm uma certa resistência em utilizar capacetes, botas e luvas vão pensar duas vezes antes de recusarem os equipamentos de proteção. “É muito importante esse trabalho, pois tem muita gente que usa com o maior sacrifício”, ressaltou. O operário Jonathan Atagiba da Costa, 25 anos, também gostou da iniciativa do Sesi e considerou que a apresentação ajudou bastante na conscientização de todos. “Muitos tiveram a chance de perceber que acidentes graves não acontecem só na rua, dentro do canteiro de obras também estamos correndo risco e devemos tomar muito cuidado”, alertou.

A produtora cultural do Arte no Canteiro em Mato Grosso do Sul, Andréia Freire, ressaltou que o Projeto vai chegar a todos os canteiros de obras do Estado e assim contribuir para reduzir o número de acidentes de trabalho. “É a arte levando noção de saúde e segurança do trabalho até os operários da construção civil. É a arte como instrumento transformador da vida das pessoas”, avaliou, acrescentando que o uso de guindastes para transportar os atores suspensos por cabos de aço encanta a plateia. “Além disso, as apresentações têm uma linguagem musical para elucidar as orientações sobre o uso de equipamentos de segurança”, detalhou.

Com duração de 40 minutos, a apresentação conta ainda com equipamentos de trabalho que ganham vida e se tornam os personagens da história. A peça apresenta três personagens principais: a “Pedrita Brito”, a “Pá Tricia” e o “Carrinho”. Outros personagens também fazem parte da encenação, como as luvas, os capacetes, as botas, os óculos de proteção, os cintos de segurança, as furadeiras, as britadeiras, as pás, os caixotes e os tonéis.

Fonte: MS Notícias

Para comprar direto de fábrica com os melhores preços de venda, entre em contato conosco.


link para pagina de produtos






© Todos direitos reservados >> Grupo IW8 - Equipamentos para Construção Civil - 2016

Logomarca do desenvolvedor